Carreira

Tipos de Residência Médica: Principais e como escolher?

A escolha do tipo de residência médica a ser seguida é um dos momentos mais importantes na carreira do médico, pois determinará a área em que ele trabalhará por boa parte da sua vida.

Sendo assim, essa escolha influencia em uma miríade de fatores  – todos eles relacionados, basicamente, ao estilo de vida que o médico pretende ter.

Alguns desses fatores englobam o ambiente em que o profissional pretende trabalhar, quais serão seus horários de trabalho, em que região do país ele terá melhores chances de ser bem sucedido, qual tipo de conteúdo precisará estudar pelo resto da vida, entre outros.

Aqui no Brasil, a conclusão da residência médica não é um requerimento para a atuação do profissional no mercado de trabalho – até porque não possuímos vagas de residência o suficiente para todos os egressos da faculdade de medicina.

Ainda assim, a maioria dos médicos opta por esse tipo de especialização, pois ela traz inúmeras vantagens.

O mais recente estudo da demografia médica brasileira, realizado em 2020, aponta que 67% de nossos médicos possuem um ou mais títulos de especialização.

Leia também:

Quais os tipos de residência médica mais concorridos? Guia para 2022

Abaixo listamos dez das especialidades mais procuradas para residência médica em 2021, seus pré-requisitos e tempo de duração.

Lembre-se de que alta procura nem sempre quer dizer alta concorrência, pois algumas das áreas mais procuradas – como clínica médica e cirurgia geral – possuem mais vagas do que as outras na maior parte das instituições.

Clínica Médica

É uma das cinco grandes áreas da medicina (constituídas por clínica médica, cirurgia geral, pediatria, ginecologia/obstetrícia e medicina preventiva).

A clínica médica é o pré-requisito para o maior número de sub-especialidades dentro da medicina, por isso conta sempre com a maior procura.

Dá ao médico uma boa visão holística do paciente, e é mais voltada ao diagnóstico e ao tratamento conservador do que aos procedimentos.

Foca na saúde do adulto. Possui duração de dois anos e é de acesso direto – ou seja, não tem outra área como pré-requisito. 

Cirurgia Geral

Outra integrante das grandes áreas, possui a segunda maior procura dentre as especialidades médicas.

É a área para o médico que gosta de procedimentos, de resolutividade rápida e de pôr a mão na massa.

A residência em cirurgia conta com um dos cronogramas mais pesados dentre todas as áreas.

Desde 2019, deixou de ter dois e passou a ter três anos de duração caso o médico pretenda obter o título de especialista em cirurgia geral.

Quem pretende escolher a cirurgia como pré-requisito para uma sub-especialização pode cursar a cirurgia básica, que ainda conta com dois anos de duração – mas o médico recebe apenas um certificado de competência, não o título (este só virá após a conclusão da sub).

Esse tipo de residência médica é de acesso direto.

Pediatria

A pediatria foca na saúde da criança. Pode ser descrita como uma versão da clínica médica, mas voltada para a criança.

Dentro dela há muitas sub-especializações, tais como a neonatologia (o cuidado dos recém-nascidos), a cardiologia pediátrica, a pneumologia pediátrica, entre outras.

É o tipo de residência médica que conta com três anos de duração e tem acesso direto.

Ginecologia e Obstetrícia

Com a quarta maior procura no mercado, a G.O. foca na saúde reprodutiva da mulher – com alguns especialistas escolhendo focar apenas no período gestacional e outros cuidando do sistema reprodutor como um todo.

Possui três anos de duração e é de acesso direto.

Anestesiologia

A anestesiologia é a área que cuida da manutenção vital e da anestesia do paciente durante uma cirurgia.

É uma área com grande procura hoje, por oferecer um bom estilo de vida ao médico ao mesmo tempo que paga bons salários.

Possui três anos de duração e é de acesso direto.

Conta com uma sub-especialização que anda em alta no mercado, a medicina da dor – onde o médico não trabalha apenas em centro cirúrgico, mas pode também manter um consultório, onde atende pacientes que lidam com dores crônicas.

Ortopedia e Traumatologia

A ortopedia e traumatologia é a área que cuida, principalmente, do sistema músculo-esquelético de um paciente: ossos, músculos, ligamentos, tendões e articulações. Envolve muita cirurgia, mas bastante tempo ambulatorial.

Esse tipo de residência médica tem acesso direto e possui três anos de duração. Conta com várias sub-especializações.

Cardiologia

tipos de residência medica cardiologia

A cardiologia é a área que foca no sistema cardiovascular do paciente. Dentre as áreas da clínica médica, ainda é a mais procurada. 

Envolve muito contato pessoal e um relacionamento longitudinal com os pacientes – pois várias das doenças cardiovasculares são crônicas.

Há sub-especializações que focam em procedimentos, para aqueles que não gostam tanto assim de consultório.

Tem como pré-requisito a clínica médica – embora algumas instituições, ainda que poucas, ofereçam a cardiologia com acesso direto.

Conta, na maioria dos serviços, com dois anos de duração.

Dermatologia

Dermatologia é a área que estuda pele e fâneros. O dermatologista pode focar em estética, uma área que vem crescendo bastante nos últimos anos; no tratamento de doenças de pele e/ou cabelos; na realização de procedimentos minimamente invasivos; entre outros.

A residência costuma ter uma carga horária tranquila, e o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal do dermatologista já titulado é um ponto positivo.

É de acesso direto e possui três anos de duração.

Radiologia

A radiologia é uma área altamente focada no diagnóstico de doenças. Hoje em dia, praticamente todas as outras especialidades recorrem ao radiologista para realização e/ou complemento de um diagnóstico.

O médico radiologista realizará e avaliará radiografias, ultrassonografias, tomografias, ressonâncias magnéticas e outros exames de imagem

Há também a radiologia intervencionista, onde o médico realiza intervenções minimamente invasivas guiadas por imagem.

A residência dura três anos e é de acesso direto.

Oftalmologia 

O oftalmologista trabalha com a saúde ocular. É uma área muito procurada por, como a dermatologia, oferecer um excelente equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

O oftalmologista raramente dá plantões e, se dá, estes são externos (o profissional só vai à emergência quando chamado). Por isso, mesmo na residência, a carga horária costuma ser bastante tranquila.

É uma área bastante focada em procedimentos – ou seja, gostar de trabalhar com as mãos é um requisito.

As sub-especializações estão ficando cada vez mais comuns, uma vez que o mercado tem se tornado um pouco saturado e, portanto, cada vez mais competitivo.

Dura três anos e também é de acesso direto.

Como escolher sua residência médica?

Há vários pontos a se levar em consideração na hora de escolher sua área. Vamos falar sobre alguns deles.

Afinidade pelo assunto

A primeira e mais importante é o seu interesse pessoal. Quais matérias te despertavam mais curiosidade durante a faculdade? Quais você gostava de ler a respeito mesmo quando não precisava? 

Estilo de vida

A segunda é quase tão importante quanto a primeira:

Qual é o estilo de vida que você pretende ter?

Você gosta da vida em ambiente hospitalar ou prefere a vida de consultório? Ou, ainda, um híbrido entre ambos? Prefere dar plantões ou montar um calendário de atendimentos?

Remuneração

Dinheiro não é tudo mas é, sim, um fator importante. Considere seus objetivos financeiros e pesquise bem a remuneração de cada especialidade.

Converse com especialistas das áreas que te despertam interesse.

Onde cursar?

Informe-se a respeito das instituições que podem oferecer um bom treinamento na área que você escolheu.

Veja provas de anos anteriores, faça uma rodada de simulados e procure cursos que possam te ajudar a entrar nessas instituições específicas.

Seja meticuloso

Não aja com impulsividade. Se está em dúvida, uma boa ideia é procurar um profissional da área que te interessa e pedir para acompanhá-lo por um tempo.

Assim você pode ter uma boa noção de como será sua rotina no futuro.

Conclusão

O investimento – tanto de tempo quanto de energia – em uma residência médica é um dos maiores que você fará em sua carreira.

Ele definitivamente valerá a pena, mas exigirá muito de você.

Entre os longos plantões noturnos, o cansaço e a falta de tempo para a vida pessoal, você precisará sempre manter em mente seu objetivo final, caso contrário acabará desistindo.

Portanto, tome essa decisão com as melhores ferramentas que possui ao seu alcance. Depois de tomada, encha o copo de café e se prepare, pois há muitas horas de estudo te aguardando pela frente. Boa sorte!

Continue lendo: