Carreira

Residência em Radiologia: Conheça a Rotina, Áreas de Atuação e Remuneração

O profissional em Radiologia é responsável por realizar os exames de imagem e emitir o laudo diagnóstico.

Então, quem cursa a Residência em Radiologia não somente será capacitado para realizar o procedimento, como também para interpretar os achados no exame de imagem.

Além disso, ele é treinado para realizar procedimentos que são guiados por imagem, como biópsias e arteriografias por cateter.

O que exige que tenha, dentre outras qualidades, controle emocional e seja capaz de tomar decisões corretas rapidamente, pois a demora no diagnóstico pode piorar o quadro clínico do paciente.

A especialidade proporciona uma qualidade de vida, por isso é a escolha de muitos médicos.

Isso porque, a maioria dos radiologistas trabalha em horário comercial e conseguem reduzir ou eliminar os plantões, ou até mesmo, trabalhar de casa.

Assim, neste texto traremos informações sobre o perfil do residente nesta área, a rotina, as áreas na qual pode atuar e como é o mercado de trabalho.

O que é a residência em Radiologia?

A Residência em Radiologia é o período de especialização do médico radiologista. Sendo ela de acesso direto e com duração de três anos.

Ela forma profissionais completos para atuarem no mercado de trabalho em diagnóstico por imagem nas áreas de radiologia convencional, mamografia digital e ressonância magnética.

Assim como também na ultrassonografia, tomografia computadorizada, intervenção por imagem e densitometria óssea.

Então, durante esta etapa de formação o médico aprende a operar e interpretar os mais diversos mecanismos da especialidade.

Ademais, para ter o título de Radiologista e exercer a profissão, somente os 3 anos de Residência não são suficientes.

Desse modo, após a conclusão da especialização é preciso realizar as provas teóricas e práticas do exame de suficiência do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR).

Quando o médico for aprovado no exame da CBR aí sim terá o registro e poderá atuar profissionalmente.

Qual a rotina de um residente em Radiologia?

Qual a rotina de um residente em Radiologia?

O dia a dia do residente em Radiologia é essencialmente prático. Sendo assim, o Programa Básico de Residência, elaborado pelo Ministério da Saúde, determina diversos Treinamentos a serem realizados ao longo de três anos.

Sendo alguns deles a radiologia intervencionista, densitometria óssea, emergência e a mamografia. Como os residentes também lidam com as diversas especialidades médicas, precisam saber identificar as mais diversas afecções.

Por isso, faz parte do conteúdo programático o estudo de doenças relacionadas à Ginecologia e Obstetrícia, ao sistema osteomuscular, aos aparelhos digestório e urinário.

E ainda, aquelas que atingem o sistema nervoso central, as mamas e o aparelho genital feminino e masculino.

Isso tudo porque precisam estar bem-preparados para a vida profissional, já que o trabalho do Radiologista, dentre outras coisas, pode identificar precocemente doenças com prognósticos muito ruins se não tratadas no início.

A rotina do Radiologista envolve a realização de ultrassonografias e exames com contraste, a análise de radiografias e a emissão de laudos das tomografias computadorizadas e ressonâncias.

Eles também orientam os protocolos de exames, indicam o uso dos meios de contraste e discutem casos e diagnósticos com médicos de outras especialidades.

Qual o perfil deve ter o residente em Radiologia?

O residente em Radiologia precisa ser ágil, estar atento aos detalhes e pensar rápido, para tomar decisões rápidas e corretas, a fim de evitar possíveis erros.

Ainda para não agravar a situação do paciente, deve saber trabalhar sob pressão e ser proativo.

Também é preciso que ele tenha bastante controle emocional, pois lida com diagnósticos difíceis para os pacientes, não podendo se envolver a tal ponto que interfira na orientação com o paciente.

Sendo assim, o bom senso, a paciência, a compreensão e a sensibilidade também são características essenciais para o residente em Radiologia.

O gosto pela tecnologia é um ponto importante, uma vez que os métodos da Radiologia estão em constante evolução.

Dessa maneira, deve ser capaz de se adaptar às evoluções tecnológicas da especialidade, estando sempre em constante aprendizado.

Como é o mercado de trabalho para um Radiologista?

O radiologista tem um amplo campo de atuação, podendo trabalhar em hospitais, em clínicas de Radiologia e de Diagnóstico por Imagem. Seja no meio público ou privado.

Inicialmente, trabalham dando plantões em hospitais e fazendo muitas ultrassonografias. Inclusive, são raros os hospitais que possuem mais de um Radiologista de plantão.

Ele presta assistência sozinho à equipe médica. Com isso, normalmente, passa às 12 horas de plantão sem tirar nenhum cochilo. Por outro lado, o estresse da relação médico-paciente-família é bem menor.  

O radiologista também pode realizar a telerradiologia, onde elabora laudos radiológicos à distância. Podendo trabalhar de casa.

Isso acontece graças aos registros digitais, permitindo manipular as imagens (dando zoom, modificando o balanço de cor) para fazer observações mais bem apuradas.

Esses laudos a distância são emitidos com uma assinatura digital, tornando o procedimento seguro e confiável.

Além disso, podem ter uma vantagem aqueles profissionais que entendem dos custos de aparelhos e insumos e de gestão.

Aqueles que entendem o funcionamento dos sistemas modernos de processamento das imagens também podem ter uma vantagem no mercado de trabalho.

Por isso, o Radiologista pode ser um empresário, abrindo o próprio negócio ou tornando-se sócio de alguma clínica.

Quando ganha um Radiologista?

No Brasil, o Médico Radiologista ganha em média R$ 4.863,00 por uma jornada de trabalho de 27 horas semanais.  Com um teto salarial de R$ 11.554,25.

Assim, levando em consideração a relação salário/hora, em 2021, a cidade de Campinas, localizada em São Paulo, pagava mais.

Com uma média salarial de R$ 3.503,96 por uma jornada de trabalho de 10 horas semanais.

Já quando se observa essa relação entre os estados, o Ceará é o que paga mais, com uma média de R$ 55,39 por hora de trabalho.

Vale lembrar também que o salário do especialista depende também das suas experiências e habilidades profissionais.

Quais as áreas de atuação para um Radiologista?

Quais as áreas de atuação para um Radiologista?

Existem duas grandes áreas de atuação na Radiologia: o diagnóstico por imagem e a radiologia intervencionista. Cada uma delas com as suas respectivas subespecialidades.

As subespecialidades que formam o diagnóstico por imagem são:

  • Neurorradiologia
  • Medicina interna
  • Radiologia torácica
  • Radiologia músculo-esquelética

Já quando falamos da Radiologia Intervencionista, temos subdivisões como vascular, oncológica e neurovascular. Isso porque essa área utiliza os métodos de imagem para orientar procedimentos, como para localizar um tumor, por exemplo.

Ademais, em algumas outras situações as duas áreas de atuação se confundem, a exemplo da Radiologia Mamária.

O médico pode realizar e emitir laudos de ultrassonografias mamárias e mamografias, ao mesmo tempo em que pode realizar biópsias e outros procedimentos mamários.

Dúvidas Frequentes (Guia Rápido)

Quanto ganha um residente em Radiologia?

Depende bastante do local onde será feita a Residência, mas a remuneração média é de 4 mil reais.

Quanto tempo dura a residência em Radiologia?

São três anos de especialização.

Como fazer residência em Radiologia?

Para fazer a Residência em Radiologia é preciso estar formado em medicina e, posteriormente, realizar a prova de acesso direto para esta especialização.

Onde trabalha um médico Radiologista?

O radiologista pode trabalhar em hospitais, clínicas especializadas em diagnósticos por imagem e clínicas de Radiologia.

Conclusão

Como vimos a residência em Radiologia exige bastante atenção, agilidade e controle emocional do residente. Características essenciais para um bom profissional.

O mercado de trabalho desta especialidade é bem amplo, pois assim também são as áreas de atuação.

Ademais, a remuneração por jornada de trabalho também chama bastante atenção, além da qualidade de vida que a Radiologia proporciona.

Então, antes de escolher a sua especialidade, tenha certeza de que combina com o seu perfil. Tenha certeza de que vai fazer por amor à profissão e a todos que dela dependem.

Leia mais:

ITU pediátrica: saiba quando solicitar exame de imagem 

Teste Vocacional Residência Médica: Qual Especialidade Fazer?

Residência em Oftalmologia: Como é, Atuação, Rotina e Salário