Carreira
Publicado em
2/6/22

Nefrologia: rotina, mercado de trabalho e remuneração

Escrito por:

A Nefrologia é uma especialidade clínica responsável por cuidar dos rins. Assim, ela se dedica a estudar, avaliar, diagnosticar e tratar problemas renais clínicos.

O médico nefrologista não realiza procedimentos cirúrgicos, que ficam a cargo do Urologista. Aqui está a diferença entre a Nefrologia e a Urologia, que é uma especialidade cirúrgica que trata do sistema urinário.

Um bom exemplo dessa distinção é em relação ao transplante renal. Enquanto a cirurgia é realizada pelo urologista, o nefrologista fica nos bastidores, nos procedimentos pré-cirúrgicos, escolhendo o doador, preparando o paciente e nos cuidados pós-cirúrgicos.

Se você quer conhecer mais esta especialidade, neste texto falaremos sobre: a rotina do especialista e do residente, do mercado de trabalho e da remuneração.

O que é a Nefrologia?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, “é uma especialidade médica dedicada ao diagnóstico e tratamento clínico das doenças do sistema urinário, principalmente relacionadas ao rim”.

Para se tornar um médico nefrologista é preciso fazer a residência em Clínica Médica (2 anos), para então fazer a residência em Nefrologia, que também tem 2 anos de duração.

Cenário atual de nefrologia no Brasil

Levando em consideração a pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Medicina e pela Universidade de São Paulo, a demografia médica 2020, o Brasil possui 4.903 médicos nefrologistas

A divisão entre especialistas femininos e masculinos é bem balanceada, e a média de idade deles é de 47 anos. Além disso, a região sudeste possui a maior concentração de especialistas, 51,6% do total trabalham na região. 

O estado de São Paulo, por exemplo, contabiliza 1.389 profissionais. Já no Rio de Janeiro são 501.  A região com o segundo maior número de profissionais é o nordeste, com o equivalente a 19,2% dos médicos. 

Vale mencionar também que, em 2019, a quantidade de médicos residentes na Nefrologia era de 547. 

O especialista e sua rotina

A nefrologia é uma especialidade clínica que cuida dos rins. Foto: Reprodução/AdobeStock
A nefrologia é uma especialidade clínica que cuida dos rins. Foto: Reprodução/AdobeStock

A rotina do médico nefrologista pode ser calma ou agitada, mas tudo depende das suas escolhas. Eles podem dar plantão em clínicas de hemodiálise, o que é o mais comum para quem está iniciando a carreira.

Isso porque, há uma maior oferta de vagas e a remuneração é por turno. O regime de plantão trabalhado é de até 14 horas e a maioria dos atendimentos são de portadores de insuficiência renal crônica.

No atendimento a esses pacientes os médicos devem monitorar os pacientes e o acompanhar o resultado dos exames. 

Ainda é possível atuar em clínicas de terapia, enfermarias, UTI’s, consultórios e unidades de transplante

Nas Unidades de Terapia Intensiva os especialistas em Nefrologia prescrevem tratamentos e avaliam os pacientes. Assim, a visita hospitalar, seja ela em enfermaria ou emergência, é rotineira para o nefrologista.

nos consultórios atuam avaliando os pacientes em busca das principais patologias renais, como: infecção urinária, alterações dos sais minerais do sangue, doenças autoimunes, hipertensão arterial etc. 

Diante disso, os nefrologistas podem atuar da seguinte forma: 

  • Prevenção de doenças renais;
  • Diagnóstico e tratamento de hipertensão arterial, infecções urinárias, nefrites, litíase renal, doenças renais císticas, doença renal crônica e lesão renal aguda;
  • Hemodiálise;
  • Diálise peritoneal;
  • Transplante renal.

Para mais, o especialista pode atuar na Nefrologia Intervencionista, uma área em expansão, pela qual, dentre outras coisas, o médico fica responsável pela implantação de cateteres.

Mercado e remuneração

As ofertas de emprego para os especialistas são oferecidas pelas clínicas de hemodiálise. 

Mas, além dessas e das clínicas de terapia, também é possível atuar em hospitais públicos e privados, e montar um consultório.

Segundo o site salário.com, que analisa os dados oficiais do novo CAGED, eSocial e Empregador Web, a remuneração média de um médico nefrologista é de R$ 8.284,84, por uma jornada de trabalho de 25 horas semanais.  

O teto salarial desse profissional pode chegar a R$ 16.714,78. Falando especificamente de Recife, a média salarial por uma jornada de 23 horas semanais é de R$ 6.974,60.

A residência médica em Nefrologia

Durante a residência o médico aprende a prescrever a diálise com os devidos ajustes da dose de heparina. Foto: Reprodução/AdobeStock
Durante a residência o médico aprende a prescrever a diálise com os devidos ajustes da dose de heparina. Foto: Reprodução/AdobeStock

A Sociedade Brasileira de Nefrologia determina que os  seguintes estágios obrigatórios devem fazer parte da residência:

  • Unidade de Internação: 25% da carga horária;
  • Ambulatório de Nefrologia Geral e Especialidades: 20% da carga horária; 
  • Serviço de Terapia Renal Substitutiva (hemodiálise e diálise peritoneal): 15% da carga horária;
  • Interconsulta Nefrológica: 20% da carga horária; 
  • Estágios Opcionais: 10% da carga horária; e
  • Atividades Didáticas: 10% da carga horária. 

Unidades de internação 

Devem ser realizadas práticas para orientar os diagnósticos e tratamentos, fazendo acompanhamento perioperatório de paratireoidectomia e do transplante renal

Ou ainda, o residente pode realizar e/ou providenciar e acompanhar o acesso vascular para hemodiálise e acesso para diálise peritoneal, bem como realizar biópsia renal quando necessário.

Ambulatório de Nefrologia Geral e Especialidades

Os residentes lidam com o planejamento, diagnóstico e terapêutica das mais variadas afecções nefrológicas como as glomerulopatias e o diabetes mellitus.

Além de cuidar dos pacientes que fizeram transplantes de rins, dos doadores e dos pacientes que estão fazendo diálise peritoneal, por exemplo.

Serviço de Terapia Renal Substitutiva para Doentes Crônicos 

Nesse estágio obrigatório os médicos que estão fazendo residência lidam diariamente com pacientes em hemodiálise, prescrevem a diálise com os devidos ajustes da dose de heparina e adequam o peso e a pressão arterial e intervenção nas intercorrências dialíticas.

Além disso, adquirem conhecimento sobre o controle de qualidade da água e de reuso de materiais, assim como aprendem noções básicas sobre as portarias e resoluções governamentais que falam sobre o acompanhamento dos pacientes renais crônicos. 

Interconsulta Nefrológica

A SBN diz que as interconsultas devem ser realizadas para pacientes internados em enfermarias de especialidades clínicas, cirúrgicas, obstétricas, unidade de terapia intensiva, unidades de pronto atendimento ou outros departamentos da Instituição de ensino.

Assim, os residentes são responsáveis por acompanhar e evoluir diariamente os pacientes, reconhecer e orientar os distúrbios hidro-eletrolíticos e ácidos básicos, e indicar e realizar a terapia renal substitutiva.

A prescrição e acompanhamento de métodos de hemodepuração lenta, contínua e hemodiálise convencional para pacientes críticos também fazem parte do escopo da residência.

Estude com a EMR

A Nefrologia é uma especialidade com pré-requisito. Isso porque, como visto anteriormente, é preciso fazer a residência em Clínica Médica antes.  

Dessa maneira, para ser aprovado nessa e em outras áreas como a Pneumologia, Oncologia e Reumatologia é preciso fazer uma outra prova de residência.

Pensando nisso, nós do EMR criamos um preparatório voltado para quem vai fazer um R+ em Clínica Médica.  

Nós contamos com uma plataforma exclusiva, pela qual são disponibilizadas nossas aulas - que tem duração de cerca de uma hora - apostilas atualizadas em formato de e-book, o resumo dos assuntos e um mapa mental

O curso também conta com um um banco com milhares de questões das principais bancas do país e com simulados gerais, realizados semanalmente.

Além do apoio psicológico individual, que é essencial neste momento. 

Conclusão

O médico nefrologista é responsável por cuidar dos rins e do sistema urinário, acompanhando e tratando pacientes com insuficiência renal ou com problemas crônicos como o diabetes e a hipertensão. 

O mercado de trabalho é bastante amplo e a remuneração pode chegar a R$ 8.284,84. 

Durante a residência o médico aprende a como diagnosticar e tratar os pacientes, e prestar os devidos cuidados durante o período perioperatório. 

Leia mais:

Artigos relacionados

Ver todos
Este autor ainda não possui outros artigos publicados.
Ver todos
Teste por 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudo

Receba um acesso gratuito para testar todos os nossos recursos e tirar suas dúvidas!

Teste 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudos

Ao confirmar sua inscrição você estará de acordo com a nossa Política de Privacidade.