Carreira
Publicado em
17/12/21

Residência em Endocrinologia: O Que É, Áreas de Atuação, Rotina e Remuneração

Escrito por:

A especialização em endocrinologia e metabologia forma profissionais responsáveis por cuidar do nosso metabolismo, estudando as glândulas endócrinas, suas funções e tratando transtornos, os médicos endocrinologistas.

A endocrinologia está entre as 20 especialidades com o maior número de profissionais do Brasil, que ficam concentrados na região sudeste.

A profissão é formada em sua maioria por mulheres, que representavam 70,3% dos 5.888 especialistas em 2020.

Durante a especialização os residentes são treinados não só para ter conhecimento técnico para cuidar dos pacientes, como também para saber escutar e fazer as perguntas certas, a fim de oferecer o melhor atendimento.

Neste texto você encontrará mais informações sobre a especialização em endocrinologia e metabologia: áreas de atuação, rotina, remuneração e muito mais.

O que é residência em endocrinologia?

O que é residência em endocrinologia

A especialização em endocrinologia e metabologia é uma área que,e studa as glândulas e os hormônios do sistema endócrino, que auxiliam no metabolismo, na reprodução humana e no desenvolvimento e crescimento corporal.  

Ela  tem como pré-requisito a residência em Clínica Médica, ou seja, para se tornar um endocrinologista é preciso ser um médico clínico geral.

Sendo assim, são necessários 4 anos de formação: 2 anos de Clínica Médica e 2 anos de especialização em endocrinologia.

Quais as áreas de atuação de um endocrinologista?

O médico endocrinologista possui um vasto campo de atuação, boa parte da categoria trabalha com a endocrinologia geral, mas alguns deles podem atuar em subáreas, como a de tumores neuroendócrinos.

Assim, após se formar na especialização em endocrinologia e metabologia, o médico pode atuar nas seguintes áreas:

  •  Alterações do metabolismo ósseo
  • Alterações dos lipídios
  • Diabetes
  • Distúrbios da Menstruação
  • Distúrbios da Puberdade e do crescimento
  • Doenças da Glândula Supra-Renal
  • Doenças da Hipófise
  • Doenças da Tireoide
  • Excesso de Pelos
  • Obesidade
  • Reposição hormonal masculina e feminina
  • Andropausa
  • Menopausa

A endocrinologia lida com doenças que possuem uma alta prevalência entre a população, e por isso interage com várias outras especialidades como: Ginecologia e Obstetrícia, Gastroenterologia, Cardiologia e Reumatologia.

Qual a rotina de um residente em endocrinologia?

Qual a rotina de um residente em endocrinologia

Em sua rotina, o residente passa por atividades práticas nos ambulatórios e nas enfermarias, assim como nos laboratórios.

Durante a especialização em endocrinologia e metabologia também há produção científica com seminários e discussões de casos, por exemplo.

Além disso, o médico também passa por serviços relacionados às subáreas, citadas anteriormente.

O residente estuda bastante fisiologia e Clínica Médica, a fim de construir uma base forte para a atuação profissional.

O dia a dia do especialista é mais solitário, pois passa a maior parte do tempo no atendimento ambulatorial, lidando diretamente com os pacientes, já que esta é uma especialidade clínica.

Por isso, durante a especialização em endocrinologia e metabologia o médico deve sempre treinar suas habilidades de comunicação e empatia, além da sensibilidade e delicadeza.

Tudo isso para se comunicar da melhor maneira possível com os pacientes e oferecer também o melhor atendimento.

Qual a remuneração e o mercado de trabalho para um médico com especialização em endocrinologia?

Os profissionais que fizeram especialização em endocrinologia e metabologia estão sendo cada vez mais valorizados, e, também por causa disso, recebem uma boa remuneração.

Assim, o salário médio para um endocrinologista com uma jornada de 17 horas semanais é de R$ 6.196,91. Assim, a faixa salarial do profissional fica entre R$ 5.590,11 e R$ 12.954,67 (teto salarial).

Tudo isso de acordo com a pesquisa feita pelo site salário, utilizando dados do novo CAGED, eSocial e Empregador Web. Foram analisados dados de novembro de 2020 a outubro de 2021.

Quando falamos sobre o mercado de trabalho, o endocrinologista pode trabalhar em horário comercial, pois não existe plantão ou emergência para esse especialista. 

Assim, ele pode atuar em ambientes como:

  • Ambulatórios de hospitais públicos ou particulares
  • Clínicas e instituições de saúde
  • Centros laboratoriais
  • Pode montar o seu próprio consultório
  • Spas e centros de estética
  • Docência em faculdades e cursos de formação
  • Médico responsável pelo setor de provas funcionais em laboratórios de análises clínicas
  • Parecerista em hospital geral
  • Gestor em unidades de saúde
  •  Pesquisador em institutos e laboratórios

Por que fazer especialização em endocrinologia?

1. Muitas opções de áreas de atuação

Na endocrinologia é possível atuar em várias áreas, que atendem de crianças a adultos.

Assim, como já dito anteriormente, você pode ser especialista em problemas relacionados ao crescimento e ao desenvolvimento ou pode ser especialista em reposição hormonal, por exemplo.

Essa ampla possibilidade de atuação permite que o quantitativo de pacientes atendidos seja maior.

Além de permitir também ter um melhor direcionamento de qual trabalho você exercerá dentro da área.

2. Aumento da procura por médicos endocrinologista

Cada vez mais a população tem procurado o endocrinologista, seja para buscar hábitos mais saudáveis ou para tratar distúrbios metabólicos.

A endocrinologia é uma área que está em pleno crescimento e expansão. Isso por causa do aumento de doenças endocrinológicas, como o diabetes e a obesidade.

De acordo com a pesquisa Vigitel 2019 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), metade dos brasileiros (55,4%) estavam obesos.

A obesidade, inclusive, foi a doença que teve mais aumento em 13 anos. Saindo de 11,8% em 2006 para 20,3% em 2019. Já a prevalência do diabetes passou de 5,5% em 2006 para 7,4% em 2019.

Agora em 2021, por causa da pandemia, a incidência do diabetes no mundo aumentou 16%, sobretudo do diabetes tipo 2, relacionado ao excesso de peso e a obesidade. Isso significa dizer que a doença está presente em uma a cada dez pessoas em todo planeta.

Desse modo, o trabalho do endocrinologista tornou-se ainda mais imprescindível devido à pandemia causada pelo coronavírus, que agravou as doenças relacionadas ao metabolismo.

3. Qualidade de vida

Por não haver a necessidade de dar plantões e ficar em emergências, o ritmo de trabalho do endocrinologista é mais tranquilo, permitindo que a rotina seja mais organizada.

Além disso, esses mesmos motivos permitem que o profissional médico trabalhe em horário comercial, podendo assim, dedicar mais tempo para si e para a sua família.

Dúvidas Frequentes (Guia Rápido)

Quantos anos tem a especialização em endocrinologia?

A especialização em endocrinologia é feita em 2 anos.

Quais as áreas de atuação da endocrinologia?

Como especialista em endocrinologia é possível atuar nos ambulatórios de hospitais públicos e particulares,  em spas e centros de estética, clínicas, consultórios e como parecerista em hospital geral.

Além de também poder atuar em centros laboratoriais, como pesquisador em institutos e laboratórios, como docente em faculdade e cursos de formação e como médico responsável pelo setor de provas funcionais em laboratórios de análises clínicas.

O que é preciso para ser um endocrinologista?

Para se tornar um médico endocrinologista é preciso fazer a residência em Clínica Médica e, posteriormente, a especialização em endocrinologia

O que o médico endocrinologista trata?

O endocrinologista é responsável por tratar os transtornos das glândulas endócrinas, como: distúrbios da menstruação, distúrbios da tireoide, andropausa e alterações do metabolismo ósseo.

Conclusão

A especialização em endocrinologia e metabologia permite atuar em várias áreas relacionadas ao sistema endócrino (glândulas e hormônios), prestando atendimento para as mais variadas idades.

Além disso, ela chama atenção por oferecer ao endocrinologista uma qualidade de vida e, também, por oferecer uma boa remuneração e reconhecimento do trabalho prestado.

Por ser uma especialidade clínica, a endocrinologia pede que o profissional seja empático, sensível e delicado.

Ele também deve saber ouvir os pacientes, para que a consulta seja proveitosa, oferecendo o melhor atendimento para os indivíduos.

Leia mais:

Doença de Addison x Síndrome de Cushing: hormônios adrenocorticais

A menopausa acomete mulheres entre 45 e 55 anos

Dislipidemia: da fisiologia ao tratamento da hipertrigliceridemia

Artigos relacionados

Ver todos
Este autor ainda não possui outros artigos publicados.
Ver todos
Teste por 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudo

Receba um acesso gratuito para testar todos os nossos recursos e tirar suas dúvidas!

Teste 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudos

Ao confirmar sua inscrição você estará de acordo com a nossa Política de Privacidade.