Estudo

Tudo que você precisa saber sobre o sarampo

O sarampo é uma doença infecciosa aguda e potencialmente grave de notificação compulsória. O agente etiológico que provoca a doença é um vírus de RNA do gênero Morbilivírus que é transmitido através de contato direto por secreções nasofaríngeas, expelidas ao falar, espirrar, tossir ou respirar. Por isso, é extremamente contagiosa. Ademais, todos são suscetíveis a contrair a doença, em especial crianças desnutridas e imunossuprimidos.

Quadro clínico

As manifestações clínicas podem ser divididas em três períodos: infecção, toxêmico e remissão.

Período de infecção

Com duração de aproximadamente 7 dias, é o período prodrômico do sarampo, caracterizado pelo surgimento da febre alta (superior a 38,5°C), tosse seca e coriza. E ainda, conjuntivite não purulenta, fotofobia e as manchas de Koplik, que antecede o exantema. 

Exemplos das Manchas de Koplik. Fonte: UpToDate
Exemplos das manchas de Koplik. Fonte: UpToDate

Elas são pequenos pontos brancos ou amarelados localizados na mucosa bucal, na altura do terceiro molar. É importante buscar esse achado nos pacientes com suspeita de sarampo, porque ele auxilia no diagnóstico. Entretanto, as manchas de Koplik não estão presentes em todos os pacientes com sarampo.

Depois do 2º ao 4º dia do início dos sintomas, surge o exantema característico do sarampo, que “migra” na direção cefalocaudal: tem início na região da cabeça e pescoço, e “desce” em direção ao tronco e membros.

O exantema do sarampo é maculopapular e morbiliforme de coloração avermelhada. Em crianças, a extensão do exantema normalmente está associada ao grau de severidade da doença. Fonte: UpToDate.
O exantema do sarampo é maculopapular e morbiliforme de coloração avermelhada. Em crianças, a extensão do exantema normalmente está associada ao grau de severidade da doença. Fonte: UpToDate.

Período toxêmico

Ocorre quando há comprometimento da capacidade do sistema imune do hospedeiro em combater o vírus. Nessa fase, são frequentes as complicações, normalmente em crianças menores de 2 anos, jovens adultos e imunocomprometidos.

Assim, é importante atentar para a persistência da febre por mais de 3 dias após o aparecimento do exantema. Isso é um sinal de alerta, que pode indicar aparecimento de complicações como infecções respiratórias, otites, doenças diarreicas e neurológicas.

Leia mais:

Período de remissão

Quando ocorre a diminuição dos sintomas da doença, inclusive a febre. Nessa fase, o exantema torna-se escurecido e descama. Essa descamação tem aspecto de farinha e, por isso, é chamada de furfurácea.


Descamação furfurácea. Fonte: Telessaúde Santa Catarina (https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/196243/Sarampo_diagnostico_precoce_e_cobertura_vacinal.pdf?sequence=2&isAllowed=y)
Descamação furfurácea. Fonte: Telessaúde Santa Catarina

Diagnóstico

O diagnóstico deve ser feito com auxílio dos exames laboratoriais. Assim, todos os casos suspeitos de sarampo devem ser submetidos a exames sorológicos. Isso porque a doença tem diversos diagnósticos diferenciais, entre eles a Chikungunya, zika vírus e exantema súbito. E mais, o eritema infeccioso, dengue, enteroviroses e riquetsiose.

Além da sorologia, devem ser coletadas amostras de urina e swabs de orofaringe e nasofaringe para análise. O objetivo dessas coletas é identificar o genótipo do vírus e, assim, reconhecer se o caso é autóctone ou importado de outros países. Por isso, devem ser coletadas até o sétimo dia após aparecimento do exantema, preferencialmente até o terceiro dia.

Tratamento

Não existe tratamento específico para o sarampo. Entretanto, o palmitato de retinol (vitamina A) é recomendado para todas as crianças acometidas com sarampo, para redução da morbimortalidade da doença e prevenção de complicações. As doses estão expostas na tabela abaixo.

FAIXA ETÁRIA DOSE FORMA FARMACÊUTICA POSOLOGIA
Menores de 6 meses 50.000 UI Solução oral 2 doses (1 dose no dia do diagnóstico e outra no dia seguinte)
Entre 6 e 11 meses e 29 dias 100.000 UI Cápsula 2 doses (1 dose no dia do diagnóstico e outra no dia seguinte)
Maiores de 12 meses 200.000 UI Cápsula 2 doses (1 dose no dia do diagnóstico e outra no dia seguinte)
Tabela com as doses do palmitato de retinol. Fonte: Ministério da Saúde,2019


Em casos não complicados, recomenda-se manter a hidratação e o suporte nutricional. Além disso, diminuir a hipertermia. Isso porque temperaturas elevadas podem causar incômodos e aumentam o risco de convulsões febris no paciente pediátrico.

FONTES:

  • GANS, Hayley. MALDONADO, Yvonne A. Measles: Clinical manifestations, diagnosis, treatment and prevention. UpToDate. 2021.
  • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília, 2019.