Covid-19
Publicado em
4/5/22

Sintomas de Pneumonia por Covid-19: Mais comuns e Como Diagnosticar?

Escrito por:

A pandemia causada pelo coronavírus aumentou os casos de pneumonia por Covid em todo o mundo. 

A doença causada pelo vírus é uma infecção respiratória capaz de evoluir para pneumonia, sendo ela responsável por um grande número de óbitos.

Para isso, faz-se necessário entender como funciona e quais os sintomas de pneumonia por Covid-19, como diagnosticar e seus tratamentos!

O que é pneumonia?

A pneumonia é uma inflamação, normalmente causada por agentes infecciosos, que se instala nos pulmões, incluindo os alvéolos e tecidos circundantes.

Mais comumente, é causada por vírus, como influenza e Covid-19, ou por bactérias, como a Streptococcus pneumoniae.

Qual a conexão entre pneumonia e Covid-19?

O vírus da Covid-19 é capaz de causar uma pneumonia nos infectados, em cerca de 15% dos casos.

Qual a diferença entre covid-19 e pneumonia normal?

A pneumonia dita como “normal” é a chamada pneumonia adquirida na comunidade

O que difere as duas é o agente etiológico. Enquanto na pneumonia por Covid-19 o agente etiológico é o SARS-CoV-2, na pneumonia adquirida na comunidade o agente pode variar, sendo mais comumente a Streptococcus pneumoniae.

Devido à etiologia, o tratamento é diferente. O tratamento da pneumonia adquirida na comunidade tem como base o uso de antibióticos, enquanto a por Covid-19  tem a dexametasona e o tociluzumabe. 

Porém, o quadro clínico se assemelha bastante.

Quais os sintomas de pneumonia por covid?

Existe uma gama de sintomas indicativos de pneumonia por Covid, sendo a tosse e a febre os principais. Foto: Reprodução/Adobe Stock
Existe uma gama de sintomas indicativos de pneumonia por Covid, sendo a tosse e a febre os principais. Foto: Reprodução/Adobe Stock

A apresentação clínica do Covid-19 pode ser inespecífica, com sintomas semelhantes a outras síndromes gripais.

A maior parte dos casos são leves, sem sinais de pneumonia ou hipóxia. Dentre aqueles que evoluem para pneumonia, podem apresentar-se de forma moderada ou grave.

Sintomas mais comuns

  • Tosse;
  • Febre;
  • Dispneia;
  • Cefaleia;
  • Mialgia;
  • Dor de garganta; e
  • Taquipneia.

Sintomas menos comuns

  • Diarreia;
  • Náuseas e vômitos;
  • Anosmia;
  • Rinorreia e congestão nasal; etc.

Sintomas mais graves

Os sintomas de pneumonia Covid que indicam gravidade são: saturação de O2 no sangue periférico < 90% em ar ambiente, frequência respiratória > 30 irpm ou distúrbio respiratório grave.

Eles costumam aparecer em 5% dos casos, com uma mortalidade de 2,3%.

Além desses, podem aparecer complicações cardiovasculares como arritmias, injúria miocárdica, infarto e choque. 

Também podem ser vistas complicações tromboembólicas, como tromboembolismo pulmonar, e neurológicas, como encefalopatia.

Em casos mais raros, foi descrita a presença de síndrome de Guillain-Barré.

Quem corre maior risco de desenvolver pneumonia por covid?

Qualquer indivíduo pode adquirir a pneumonia por Covid-19, porém, algumas populações estão em maior risco, são elas: pessoas com idade mais avançada, comorbidades e/ou imunossupressão.

Adultos mais velhos

Existe um predomínio de adultos mais velhos entre as hospitalizações por Covid-19, sendo a média entre 49 e 56 anos.

Além disso, a maior idade também mostrou maior relação com risco de óbito.

Pessoas com condições de saúde subjacentes

Pessoas com outras condições de saúde, como comorbidades, também apresentam maior risco de pneumonia por Covid-19 e óbito.

As comorbidades mais relacionadas foram: 

  • Câncer;
  • Doença cerebrovascular;
  • Doença renal crônica;
  • Doença pulmonar crônica, como DPOC;
  • Doença hepática crônica;
  • Fibrose cística;
  • Diabetes mellitus tipo 1 e 2;
  • Hipertensão arterial sistêmica;
  • Doenças cardíacas; 
  • Malformações congênitas;
  • HIV;
  • Demência; 
  • Obesidade;
  • Gravidez.

Pessoas com sistema imunológico enfraquecido

Pessoas imunossuprimidas também apresentam maior risco de desenvolver pneumonia e óbito, como é o caso no AIDS e nos pacientes em quimioterapia.

Isso se deve ao fato de que o corpo não apresenta as condições necessárias para responder imunologicamente ao vírus.

Como fazer diagnóstico da pneumonia por covid-19?

O diagnóstico da infecção pelo Covid-19 é feito a partir dos testes bioquímicos, como o RT-PCR e o teste rápido de antígeno

Porém, para o diagnóstico da pneumonia por covid, são necessários os parâmetros clínicos. 

Pode-se associar um exame de imagem para melhor caracterização, que pode ser tomografia computadorizada e radiografia de tórax.

Na TC de tórax, é possível observar opacidades em vidro fosco multifocais e bilaterais, com predomínio periférico e posterior. Achados típicos de paciente com pneumonia por covid-19. Fonte: https://www.jornaldepneumologia.com.br/details/3333/pt-BR/pneumonia-por-covid-19--qual-o-papel-da-imagem-no-diagnostico-vv
Na TC de tórax, é possível observar opacidades em vidro fosco multifocais e bilaterais, com predomínio periférico e posterior. Achados típicos de paciente com pneumonia por covid-19. Fonte: Jornal de Pneumologia

A radiografia é mais utilizada pela maior facilidade de acesso. Os achados são inespecíficos, semelhante a outras infecções pulmonares, variando de acordo com a fase da doença. 

Os achados mais comuns são opacidades em vidro fosco e consolidação. Também foram vistos, espessamento da pleura adjacente, espessamento septal interlobular e broncogramas aéreos. Podem ser vistos com mais detalhes pela TC de tórax.

Normalmente, esses achados são bilaterais, com distribuição periférica e envolvem os lobos inferiores.

Radiografia de paciente com pneumonia por covid-19 evidenciando opacidades pulmonares de baixa atenuação (setas) nas bases pulmonares. Fonte: http://www.rb.org.br/detalhe_artigo.asp?id=3289&idioma=Portugues
Radiografia de paciente com pneumonia por covid-19 evidenciando opacidades pulmonares de baixa atenuação (setas) nas bases pulmonares. Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem

Quais os possíveis tratamentos para pneumonia por covid-19?

A abordagem ideal ainda está evoluindo. Dados sugerem que o uso de dexametasona associado a tocilizumabe ou baricitinibe e/ou remdesivir para quadros moderados a graves é a melhor opção. 

Além disso, faz-se uso de medicamentos sintomáticos. Para aqueles que necessitarem, utiliza-se suplementação de oxigênio.

Para pacientes que não estejam em oxigenioterapia

  • De alto risco: Recomenda-se o uso de apenas remdesivir se o paciente for de alto risco. 
  • De baixo risco: utilizar apenas os cuidados de suporte.

Para os indivíduos que estejam em oxigenioterapia de baixo fluxo

Utiliza-se dexametasona e remdesivir em baixas doses. Se estes ainda tiverem marcadores inflamatórios elevados, associar também o baricitinibe ou tocilizumabe.

Para pacientes em oxigenioterapia de alto fluxo ou ventilação não invasiva

Utiliza-se dexametasona em baixas doses. O uso de baricitinibe ou tocilizumabe associado também é indicado, principalmente aos pacientes da UTI.  Também pode-se utilizar remdesivir.

Para pacientes com ventilação mecânica ou oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO): 

Recomenda-se dexametasona em baixa dose e tocilizumabe adjuvante para aqueles em até 96h de hospitalização ou 24 a 48h de admissão na UTI. Não se utiliza baricitinibe e remdesivir de rotina. 

Quais os efeitos da pneumonia por covid-19 no longo prazo?

A pneumonia por Covid-19 pode deixar diversas sequelas, com tempo de recuperação variável.

Indivíduos que tiveram a doença na sua forma mais grave tendem a levar mais tempo para recuperação total.

Assim, os sintomas persistentes mais comuns incluem fadiga, dispneia, dor torácica, tosse e déficits cognitivos

Estudos também sugerem o potencial para insuficiência respiratória contínua e sequelas cardíacas.

Conclusão

A pneumonia por Covid-19 se tornou bastante relevante com a pandemia, devido à sua prevalência e o risco de óbito.

O tratamento ideal foi e ainda vem sendo estudado por diversos estudiosos, que buscam a melhora da abordagem da doença. 

A vacina para o vírus contribui bastante para a diminuição dos casos no mundo inteiro.

Leia mais:

FONTES:

Artigos relacionados

Ver todos
Este autor ainda não possui outros artigos publicados.
Ver todos
Teste por 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudo

Receba um acesso gratuito para testar todos os nossos recursos e tirar suas dúvidas!

Teste 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudos

Ao confirmar sua inscrição você estará de acordo com a nossa Política de Privacidade.