Estudo

Dominando o manejo das geo-helmintíases

As geo-helmintíases, também conhecidas por “lombriga”, “bicha” ou “verme chicote”, são doenças causadas por helmintos, que são vermes nematódeos que infectam o trato gastrointestinal do homem. Seus principais representantes são a Ascaris lumbricoides, responsável pela ascaridíase, e a Trichuris trichiura, causadora da tricuríase.

E ainda, a Ancylostoma duodenale e o Necator americanos, responsáveis por causar a ancilostomose. A suscetibilidade a esses parasitas é geral, mas crianças em idade escolar representam um importante grupo de risco de disseminação.

Você sabe como se dá a contaminação da ascaridíase e da tricuríase?

A ascaridíase e a tricuríase afetam mais comumente crianças entre 5 e 14 anos. A transmissão desses ocorre através da ingesta de ovos presentes em alimentos crus ou mal lavados, bem como de água contaminada. Ademais, não lavar as mãos após a utilização de instalações sanitárias também facilita a disseminação dos parasita.

Como ocorre a transmissão da ancilostomose?

Representação do ciclo de vida dos vermes da ancilostomose. Fonte: https://www.tuasaude.com/ancilostomiase/
Representação do ciclo de vida dos vermes da ancilostomose. Fonte: TuaSaúde

Já a ancilostomíase afeta mais comumente adultos com mais de 20 anos de idade, e a contaminação se dá pela penetração ativa da larva na pele íntegra do hospedeiro. Assim, ocorre através do contato direto com o solo contaminado por fezes de indivíduos previamente infectados e, todavia, também pode ocorrer pela via oral, com a ingestão de água e alimentos contaminados.

Leia mais:

Sintomas dos pacientes com helmintíase

Normalmente, indivíduos com geo-helmintíases são assintomáticos. Entretanto, em pacientes com sintomas de helmintíase, as manifestações iniciais podem ser febre, sudorese e fraqueza. E ainda, náuseas e palidez.

É importante destacar que, na ancilostomose, é possível verificar lesões cutâneas devido a penetração do parasita. Essas são conhecidas como “coceira da terra”, diferindo da dermatite cercariana da esquistossomose (“coceira d’água”).

Quando o helminto atinge a forma adulta, o paciente pode apresentar desconforto abdominal, cólicas intermitentes e perda de apetite. E mais, diarreia, dores musculares e anemia. Essa última é característica da ancilostomíase, popularmente conhecida como o “amarelão”.  

Isso porque ocorre a adesão dos vermes na parede do intestino para se alimentar de sangue e tecido do hospedeiro. Assim, a infecção pela geo-helmintíase pode diminuir a capacidade de absorção de alimentos.

Raio-X apresentado opacidades difusas multifocais em ambos os pulmões. Associados à clínica e exames laboratoriais, é característico da síndrome de Loeffler. Fonte: Scielo (https://www.scielo.br/j/jpneu/a/TmF8YF8DnNKN9HcQZBBCtRh/?lang=pt)
Raio-X apresentado opacidades difusas multifocais em ambos os pulmões. Associados à clínica e exames laboratoriais, é característico da síndrome de Loeffler. Fonte: Scielo

Além disso, a migração das larvas para o fígado e pulmões pode provocar desconfortos na região hepática, ânsia de vômitos e tosse. Para mais, pode levar a pneumonia verminocítica (síndrome de Loeffler), caracterizada por consolidações grosseiras nos pulmões e aumento de eosinófilos no sangue periférico.

Diagnóstico das geo-helmintíases

O diagnóstico das geo-helmintíases se dá através do exame parasitológico de fezes. Com esse exame, é possível fazer uma solicitação do método Kato-Katz. Ele é muito útil para avaliar a intensidade da infecção, por realizar a contagem de ovos por grama de fezes.

Tratamento para doenças causadas por helmintos

O tratamento para helmintos de primeira escolha é com o albendazol, na dose 400mg. No entanto, em caso de obstrução intestinal por ascaridíase, após tentativa de paralisação do verme com piperazina, uso de laxantes e massagens abdominais, pode ser preciso realizar intervenção cirúrgica.

Fonte:

  • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília, 2019