Estudo
Publicado em
24/12/21

Hérnias da Região Inguinal, O que são, Sintomas e Como fazer o Diagnóstico

Escrito por:

A hérnia inguinal representa entre 80 e 90% das hérnias de parede abdominal. Ela é caracterizada pela presença de um nódulo na região da virilha.

Devido a isso, também pode ser chamada de hérnia na virilha, podendo ocorrer em apenas um lado ou em ambos os lados.

Os idosos e as crianças são os mais acometidos, por causa da fragilidade da musculatura abdominal, mas ela pode aparecer em qualquer fase da vida.

Além disso, esse tipo de hérnia é mais frequente em pessoas do sexo masculino e pode ser de dois tipos: direta ou indireta, a depender da fase da vida na qual aparece e da localização.

A maioria é assintomática, mas algumas podem sofrer estrangulamento ou encarceramento.


O que é a região inguinal e qual a sua anatomia?

O que é a região inguinal e qual a sua anatomia

Para fazer o diagnóstico correto da hérnia inguinal é fundamental dominar a anatomia dessa região.

As hérnias são definidas como a saída de conteúdo de sua cavidade. No caso da inguinal, ela é caracterizada pela protusão de gordura intra-abdominal, de tecido conjuntivo, de uma pequena parte do intestino ou de outros órgãos pela parede abdominal.

A musculatura da parede do abdome tem papel fundamental na contenção das vísceras abdominais porque, quando contraída, protege locais que normalmente não estão cobertos por músculos, como a região inguinal.

Assim, em condições normais, ela é capaz de suportar aumentos de pressão intra-abdominal, como na presença de tosse, espirro e esforços musculares.

Entretanto, se há enfraquecimento dessa musculatura, há aumento das chances de surgirem as hérnias inguinais.

Certo, mas você deve estar se perguntando: “onde fica localizada a região inguinal?”

Ela se estende desde a crista ilíaca anterossuperior até o tubérculo púbico, sendo composto pelo canal inguinal e outras estruturas que vão delimitá-lo, como o ligamento inguinal.

Esse canal no homem é formado pela passagem do funículo espermático, responsável pela suspensão do testículo no escroto.

Ele abriga estruturas importantes, como o ducto deferente (responsável por transportar os espermatozóides do epidídimo ao ducto ejaculatório), a artéria testicular e a artéria do ducto deferente.

Assim como o vestígio do processo vaginal (estrutura que auxilia a descida dos testículos do abdome para o escroto).

Estruturas presentes no funículo espermático, que atravessam o canal inguinal.


Fonte: KenHub

Por este canal, nas mulheres, ainda passa o ligamento redondo do útero e, em ambos os sexos, há a passagem do nervo ilioinguinal.

O canal inguinal apresenta em sua estrutura o anel profundo/interno e o anel superficial/externo. 

O anel profundo é superior ao ligamento inguinal e lateral às artérias epigástricas inferiores, sendo formado pela evaginação da fáscia transversalis, que forma revestimento interno do canal.

É por ele que penetram o funículo espermático e o ligamento redondo do útero.

Já o anel superficial/externo é a abertura anterior, e por onde saem essas estruturas que vão em direção à pelve.

Quais os tipos de hérnia na virilha?

Hérnias Inguinais Diretas

Representação do triângulo de Hasselbach. Quem compõe a base do triângulo são os vasos epigástricos inferiores, os limites laterais são o ligamento inguinal e a borda lateral do músculo reto do abdome e o ápice é formado pelo tubérculo púbico

Fonte: Caderno Medicina

As hérnias diretas são mais comuns em homens adultos. Elas localizam-se no triângulo de Hasselbach, medialmente aos vasos epigástricos inferiores.

Esse triângulo é um local de fraqueza inato do corpo e, por isso, é o local mais propenso ao aparecimento de hérnias. 

Elas são adquiridas, e alguns de seus principais fatores de risco são decorrentes de esforços e comorbidades que aumentam a pressão intra-abdominal, como a obesidade, ascite e DPOC (essa devido a tosse frequente).

Alguns outros fatores como a deficiência de colágeno (que podem ser decorrentes do tabagismo) também influenciam no aparecimento desse tipo de hérnia. Assim, são mais comuns em indivíduos mais velhos.

Hérnias Inguinais Indiretas

Imagem representativa de como surgem as hérnias inguinais direta e indireta. Perceba que na hérnia inguinal direta, há protusão da víscera através do triângulo de Hasselbach. Já na hérnia inguinal indireta, há a passagem da víscera através anéis interno e externo do canal inguinal


Fonte: Osmosis

As hérnias inguinais indiretas manifestam-se comumente em crianças e lactentes.

Elas têm localização lateral aos vasos epigástricos inferiores e adentram o canal inguinal, apresentando-se pelo anel inguinal superficial.

São hérnias congênitas, causadas pela não obliteração do canal, que deveria fechar após a descida dos testículos durante a vida intrauterina.  

Sendo assim, pode haver a protusão não só de um pedaço do intestino, como também do saco escrotal.

Quais os principais sintomas de hérnia na virilha?

Por causa da protusão de parte do intestino ou da gordura intra-abdominal, por exemplo, o principal sintoma de hérnia na virilha é o abaulamento ou nódulo na região da virilha, que desaparece quando o paciente se deita ou fica quieto.

Sendo ele acompanhado de outros sintomas como:

  •  Dor e desconforto na região da virilha: ao levantar-se, se curvar, fazer alguma atividade física, levantar peso, tossir ou evacuar;
  • Sensação de peso na virilha; e
  • Irradiação da dor para os testículos, nos homens.

Vale salientar que nem sempre as hérnias dão algum sinal, sobretudo se forem pequenas.

Quais as causas?

As hérnias inguinais podem aparecer em decorrência de um grande canal inguinal ou por causa do enfraquecimento dos músculos abdominais inferiores, que é característico de pessoas com:

  • Aumento da pressão abdominal, por tosse crônica ou prisão de ventre;
  •  Defeitos congênitos na região abdominal, no caso das crianças;
  • Pessoas com obesidade e hipertensão; e
  • Fumantes.

A fragilidade da parede abdominal é o motivo pelo qual a hérnia na região da virilha é mais frequentemente observada em crianças e idosos.

Como identificar uma hérnia na virilha?

Na maioria dos pacientes, apenas a avaliação clínica (olhando e tocando a região) é suficiente para o diagnóstico.

Contudo, em alguns casos se faz necessária a solicitação de exames de imagens, como a ultrassonografia e a tomografia computadorizada.

Para identificar se a hérnia fica mais saliente, é preciso pedir para o paciente tossir ou fazer força com a barriga na hora do exame físico.

Além disso, para dar o diagnóstico do problema, o indivíduo precisa ser examinado em posição ortostática e em decúbito dorsal. Por vezes, é possível a identificação apenas na inspeção estática.

Entretanto, se for uma hérnia pequena, de difícil observação, a manobra de Valsalva facilita a visualização do abaulamento da parede abdominal. 

Achado após a realização da manobra de Valsava

Fonte: webmd

Ela é uma técnica pela qual o indivíduo prende a respiração, segurando o nariz com o dedo, e, posteriormente, faz pressão forçando a saída de ar.  

Dessa maneira, se a hérnia estiver localizada acima do ligamento inguinal, é considerada uma hérnia inguinal. Já se estiver abaixo do ligamento, é uma hérnia femural ou crural.

Para avaliar se ela é direta ou indireta, utiliza-se a manobra de Landivar, em que o médico deve inserir a ponta do dedo no canal inguinal do paciente e a manobra de Valsalva é realizada mais uma vez.

Se a víscera toca a ponta do dedo do examinador, é uma hérnia indireta, visto que esse achado caracteriza a passagem da víscera pelo canal.

Entretanto, se a víscera toca a lateral do dedo, significa que essa advém do triângulo de Hasselbach e, portanto, é uma hérnia direta.

Ademais, a identificação do problema nos bebês pode ser mais difícil. Isso porque a saliência não é tão proeminente.

Assim, para descobrir a sua presença é preciso avaliar a virilha do bebê quando ele estiver fazendo algum esforço: chorando, evacuando ou tossindo. A pressão produzida deixará a hérnia mais visível.

Quais os possíveis tratamentos?

Quais os possíveis tratamentos

O tratamento para corrigir definitivamente o problema é cirúrgico, não existem medicamentos ou exercícios específicos.

A cirurgia para a hérnia na virilha é chamada de hernioplastia inguinal, indicada, principalmente, quando existem sintomas.

Ela pode ser feita por meio de uma grande incisão na região, a fim de colocar no seu devido lugar o que está fora, ou por meio de uma laparoscopia (técnica minimamente invasiva), por exemplo.

Esta última pode ser realizada para a colocação de uma tela sintética, responsável por reforçar a musculatura do abdômen, ajudando a evitar a formação de novas hérnias.

Diante disso, o que vai definir o tipo de procedimento cirúrgico será o tipo de hérnia e o estado de saúde do paciente.

Para mais, se a hérnia for muito pequena e assintomática não precisa operar, é feito apenas o acompanhamento do paciente.

Mas, ao longo do tempo, a tendência é de que ela passe a incomodar e a causar dor, e por isso, o tratamento cirúrgico será necessário.

Quais as possíveis complicações da hérnia inguinal?

As duas principais complicações dessa hérnia de parede abdominal são o encarceramento e o estrangulamento.

Sendo elas consideradas complicações incomuns, por isso, normalmente só ocorrem quando a hérnia não é tratada.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal (SBH): “o encarceramento é caracterizado pela protusão (abaulamento) permanente, ou seja, o conteúdo herniário fica preso na hérnia, não reduz espontaneamente ou mediante manipulação. Pode estar associado a dor e não é uma emergência médica”.

Assim, a hérnia encarcerada não diminui de volume quando pressionada ou espontaneamente, pois fica presa na cavidade abdominal.

Tal situação causa sintomas como: distensão abdominal, vômitos, dor muito intensa na hérnia, ausência de fezes e inchaço na região inguinal.

 

Esta complicação é mais comum nos bebês, devido a dificuldade na identificação do problema, na maioria dos casos. Consequentemente, o tratamento não começa quando deveria e a hérnia vai piorando com o passar do tempo.

Para mais, quando o encarceramento não é tratado, o caso pode evoluir para o estrangulamento, que, segundo a SBH “ocorre quando o conteúdo herniário (geralmente parte do intestino), fica estrangulado no orifício da hérnia, ocasionando o comprometimento do fluxo de sangue, podendo evoluir para isquemia e gangrena”.

Esse caso é considerado de emergência, pois pode levar o paciente a óbito. O encarceramento da hérnia causa uma dor muito intensa na virilha ou no abdômen.

E ainda, outras manifestações clínicas como: febre, náusea e vômito, irritabilidade, perda de apetite, ritmo cardíaco acelerado e inflamação abdominal.

Além dessas, uma outra consequência é o desenvolvimento de hérnia escrotal, quando o problema atinge o escroto, responsável por envolver e proteger os testículos.

O que pode levar a infertilidade, por causa da alteração na produção e armazenamento dos espermatozóides.

Dúvidas Frequentes (Guia Rápido)

O que é hérnia inguinal estrangulada?

O estrangulamento da hérnia ocorre quando ela fica presa na parede abdominal e deixa de receber o fluxo sanguíneo ou ele passa a ser insuficiente para garantir a nutrição e oxigenação dos tecidos.

O que pode levar a uma isquemia ou gangrena. Sendo esse problema considerado um quadro grave, mesmo sendo incomum.

Quando é necessário operar a hérnia inguinal?

O tratamento cirúrgico da hérnia na virilha torna-se necessário quando ela cresce e passa a causar incômodo e ser sintomática.  

Qualquer hérnia inguinal pode sofrer encarceramento?

Sim, o encarceramento pode acontecer com qualquer tipo de hérnia inguinal, sendo mais frequente em pacientes com hérnias femorais e com o anel herniario pequeno.

No entanto, o risco desse tipo de complicação é muito baixo. Por isso é considerada uma consequência incomum.

Conclusão

A hérnia inguinal é um problema que não pode ser ignorado. Ela não vai sumir, por isso precisa ser acompanhada de perto, para decidir quando será preciso fazer a cirurgia.

Isso porque, quando não tratada, ela pode sofrer encarceramento ou estrangulamento. Ou ainda, pode causar uma hérnia escrotal, alterando a fertilidade masculina.

Nos bebês o diagnóstico não é fácil, por isso são mais susceptíveis a complicações.

Já nos adultos a avaliação clínica utilizando as manobras de Valsava e de Landivar ajudam a identificar a saliência provocada pelo problema, que costuma ser assintomático.

Leia mais:

Aprenda a identificar se o lactente tem hidrocele ou hérnia

Abdome Agudo Obstrutivo: O que é, Sintomas e Tratamento

Obstrução Intestinal: O Que É, Sintomas, Como Diagnósticar e Tratamento

Últimos artigos de

Ver todos
Este autor ainda não possui outros artigos publicados.
Ver todos
Teste por 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudo

Receba um acesso gratuito para testar todos os nossos recursos e tirar suas dúvidas!

Teste 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudos

Ao confirmar sua inscrição você estará de acordo com a nossa Política de Privacidade.