Estudo

Alimentação à base de soja e menopausa

As ondas de calor causadas pela menopausa geram perda na qualidade de vida. Sendo assim, um estudo publicado no último dia 12 de julho, trouxe novidades reconfortantes para as mulheres. Realizado pela North American Menopause Society, ele mostrou que a alimentação à base de vegetais e rica em soja foi capaz de diminuir o chamado ‘fogacho’.

A menopausa ocorre, geralmente, em mulheres entre 45 e 55 anos. As ondas de calor causadas por esse período não possuem causa definida, mas acredita-se que estejam relacionadas às variações hormonais. Na maioria das vezes, começam antes da menstruação cessar definitivamente e perduram por 7 anos e meio. No entanto, podem durar até 10 anos.

Como foi realizada a pesquisa?

O trabalho contou com a participação de 36 mulheres entre 40 e 65 anos, na pós-menopausa e relatando ondas de calor pelo menos duas vezes ao dia. A análise foi realizada por 12 semanas. Ademais, as participantes foram divididas em dois grupos: intervenção e o controle. Esse último manteve seus hábitos alimentares diários.

Sabendo que a dieta interfere diretamente nos calores da menopausa, estudo utiliza dieta à base de planta e grão de soja para amenizar o fogacho. Foto: Reprodução/ Anna Pelzer/ Unplash
Sabendo que a dieta interfere diretamente nos calores da menopausa, estudo utiliza dieta à base de planta e grão de soja para amenizar o fogacho. Foto: Reprodução/ Anna Pelzer/ Unplash

O grupo intervenção foi submetido a uma dieta vegana, com baixo teor de gordura, e meia xícara de soja cozida diariamente (geralmente, em sopas ou saladas). Por causa da pandemia, o monitoramento foi realizado remotamente. Assim, um aplicativo móvel foi utilizado para medir as ondas de calor

Para fazer o monitoramento do peso corporal, os pesquisadores forneceram uma balança digital autocalibrada a cada pessoa. E ainda, cada participante recebeu uma panela de pressão para o cozimento dos grãos de soja. Nas reuniões semanais, realizadas pelo zoom, muitas mulheres já relatavam perda de peso, melhora na digestão e na disposição.

Leia mais:

Quais foram os resultados para a dieta vegana rica em soja?

Ao avaliar os dois grupos, foram observados os seguintes resultados:

- Peso corporal total: redução de 3,5 kg no grupo da alimentação vegana. O que não foi observado no outro, pelo contrário, houve aumento ponderal de 0,8 kg;

- As ondas de calor de moderada a grave caíram de aproximadamente 5 por dia, para cerca de uma por dia no grupo da alimentação vegana, ou seja, uma redução de 84%. Já no grupo controle também houve uma queda, mas não tão expressiva, equivalente a 42%. De aproximadamente 4 vezes ao dia, os sintomas só eram observados 2 vezes;

- Ao final do estudo, 59% das mulheres com alimentação rica em soja já não apresentavam mais o ‘fogacho’ moderado ou grave;

- Também foram observadas reduções significativas no grupo intervenção em relação aos suores noturnos e sudorese.

A diminuição da frequência e da intensidade do ‘fogacho’ e até mesmo o seu desaparecimento sem uso de medicação é de extrema importância para as mulheres. Representando uma melhora significativa na qualidade de vida. Isso porque, além do calor e da transpiração, os suores noturnos - desencadeados pela onda de calor - podem causar distúrbios do sono.

Desse modo, mulheres na menopausa também podem apresentar: irritabilidade, fadiga e perda de concentração. Vale salientar que, ao longo da pesquisa não houve uso de medicação à base de hormônios ou qualquer tipo de extrato. Além do mais, é preciso fazer mais análises, pois além da pequena população de estudo, o tempo de observação também foi muito curto.

Fontes: 

UOL: Estudo: alimentos ricos em soja reduzem em até 84% calorão da menopausa

METRÓPOLES: Dieta rica em soja controla ondas de calor da menopausa, aponta estudo