Estudo

Semaglutida e a perda ponderal

O tratamento clínico da obesidade, recentemente, ganhou mais um aliado. A agência regulatória dos Estados Unidos, a FDA (Food And Drug Administration), aprovou o medicamento semaglutida para promover a perda ponderal. Isso porque, os ensaios clínicos apontaram que 2,4 mg do fármaco, semanalmente, associado a alimentação e a mudança no estilo de vida resultaram num maior gasto calórico.

O semaglutida é agonista do receptor do peptídeo 1 semelhante ao glucagon. Ele induz a redução de peso diminuindo a fome e aumentando a sensação de saciedade, e por isso, auxilia as pessoas a comerem menos. Até a aprovação do FDA - espécie de ANVISA dos Estados Unidos - foram realizados 4 ensaios clínicos de fase 3.

Medicamento revolucionário para a perda de peso é aprovado pela FDA. Foto: Reprodução/AARP
Medicamento revolucionário para a perda de peso é aprovado pela FDA. Foto: Reprodução/AARP

Sendo eles realizados pelo programa Semaglutide Treatment Effect in People With Obesity (STEP). O STEP foi responsável por testar a segurança e eficácia do tratamento em mais de 4.500 adultos com sobrepeso ou obesidade. Ademais, a população de estudo tinha ao menos uma comorbidade relacionada ao peso.

Quais foram os resultados de cada um desses ensaios?

STEP 1

O primeiro estudo teve como propósito analisar o controle ponderal. Sendo assim, foi observado que os indivíduos que receberam a injeção de semaglutida tiveram uma perda calórica média de 15%. O grupo placebo perdeu apenas 2,4% das calorias.

STEP 2

A segunda pesquisa foi mais específica e se deteve apenas ao controle de peso em pacientes com diabetes tipo 2

Com isso, os pesquisadores constataram que houve melhora nos níveis de hemoglobina glicada (A1c) com a redução do peso, mas para isso ele teve que ser maior do que 10%. Então, a taxa de A1c caiu 2,2% nesse público. Em indivíduos com reduções menores, o quantitativo caiu apenas 1,3%.

Leia mais:

STEP 3

Neste ensaio foi acrescentada a terapia comportamental intensa ao tratamento com o fármaco. Isso porque, apenas a terapia e uma dieta hipocalórica foram responsáveis por reduzir o peso inicialmente, mas não houve um aumento da perda ponderal final.

Desse modo, foi apontado que, a combinação do fármaco mais o aconselhamento mensal sobre o estilo de vida é suficiente eficaz para redução calórica média de 15%.

STEP 4

O trabalho teve como objetivo analisar o controle ponderal sustentado. Dessa forma, na 20ª semana, com o escalonamento da dose de semaglutida para 2,4 mg, os pacientes perderam 6% do peso inicial.

Nesta mesma semana, alguns indivíduos trocaram o tratamento com o medicamento para o placebo. Em decorrência disso, em aproximadamente um ano e meio (68 semanas) tinham perdido apenas 5,4% do peso inicial. Ao contrário do grupo que permaneceu com o agonista, que teve uma redução de 17,7% do seu peso inicial.

Sendo assim, as injeções semanais não só auxiliaram a manter a perda ponderal, como também aumentaram a redução inicial naqueles que continuaram o tratamento após cinco meses (20 semanas).

Efeitos colaterais

De acordo com os pesquisadores, o efeito adverso mais comum entre os participantes que fizeram uso da medicação foi a náusea. Ocorrendo em 20% deles, ela se deu de maneira leve a moderada. Também foram relatados efeitos gastrointestinais (constipação, diarreia e vômito), considerados transitórios, na fase de escalonamento da dose.

Fonte: