Covid-19

Estudo mostra que a hipertensão está associada a Covid-19 grave

Pesquisa publicada no periódico Journal of the American Heart Association, no dia 25 de fevereiro, aponta a hipertensão em associação com a evolução grave da Covid-19. Além dela, também foram identificadas outras três doenças cardiometabólicas: a obesidade, o diabetes e a insuficiência cardíaca. Ademais, o estudo se deu num centro de saúde localizado na cidade de Nova York, nos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, até novembro de 2020 foram realizadas 906.849 hospitalizações em decorrência do coronavírus. Os pesquisadores estimam que dois terços (63,5%) delas podem ser atribuídas a alguma das afecções cardiometabólicas. Estimativa essa, baseada numa simulação matemática para apresentar o número e a proporção de internações que poderiam ter sido evitadas se a população não tivesse as doenças pré-existentes. 

Leia mais:  Pesquisa aponta qual o perfil de quem evolui para doença pulmonar persistente após a Covid-19

Para o estudo realizou-se uma análise de dados relativos à associação entre as internações causadas pelo coronavírus e cada uma das quatro enfermidades. O grupo de estudo contou com 5.279 pacientes de um importante serviço de saúde localizado em Nova York.

Desse modo, para estimar as internações hospitalares causadas pelo SARS-COV-2 por subgrupo populacional, a pesquisa colheu dados do Projeto de rastreamento da Covid-19. E ainda, do sistema COVID-NET do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) dos EUA. Já as informações da população acometida pelas quatro doenças metabólicas foram coletadas da Pesquisa Nacional de Exame de Saúde e Nutrição.

Negros e hispânicos com diabetes têm mais probabilidade de evoluir para quadros graves da Covid-19, aponta estudo

Analisando os indivíduos em relação a idade e a raça/etnia, os autores perceberam que as internações associadas a diabetes eram maiores entre pessoas de faixas etárias mais elevadas. Sendo assim, 29% dos idosos com 65 anos ou mais foram hospitalizados. Ao contrário do que foi observado entre os indivíduos menores de 50 anos, apenas 8% deles foram internados. 

O internamento causado por Covid-19 grave associado ao diabetes é maior entre os negros e os hispânicos, analisa a pesquisa. Foto: Reprodução/Pexels

Os autores do estudo observaram também que as internações por Covid-19 associadas a diabetes foram maiores entre os negros e os hispânicos. Dessa maneira, estudando a faixa etária dos 65 anos ou mais, os pesquisadores observaram que aproximadamente 34% dos hispânicos, 32% dos negros e 25% dos brancos foram hospitalizados por causa do diabetes.

Tendo como foco a obesidade, concluiu-se que ela foi igualmente prejudicial para as hospitalizações em todas faixas etárias. Ademais, as hospitalizações associadas aos problemas cardiometabólicos foram maiores entre os negros de todas as faixas etárias. Assim, a taxa foi de 50% entre os adultos negros de 18 a 49 anos. Em relação aos brancos, o índice foi menor. Desse modo, 39% deles foram internados.

A Covid-19 grave pode ser evitada com a redução no número de casos de doenças cardiometabólicas

Para os pesquisadores, essa disparidade no número de internamentos por raça se dá por causa da falta do acesso igualitário aos serviços de saúde. A prevalência das quatro afecções é maior entre os negros e os hispano-americanos. Por isso, os autores afirmam que devem existir políticas de saúde para promover a redução dessa incidência.

Leia mais: Dieta cetogênica x dieta vegetariana

De acordo com o autor sênior do estudo, o cardiologista Dariush Mozaffarian, a saúde pública deveria se concentrar em reduzir os casos de diabetes e de hipertensão. Essa redução deveria ser usada como uma estratégia para evitar a evolução para Covid-19 grave. Para ele, a pandemia causada pelo coronavírus é rápida e ocorre concomitantemente a “pandemia lenta de obesidade e diabetes”. Por fim, vale salientar que as enfermidades cardiometabólicas são associadas às hospitalizações, e por isso não devem ser apontadas como a causa delas.

Fontes: