Estudo

Você sabe o que é a protonterapia?

A protonterapia,diferentemente da radioterapia convencional, se utiliza de feixes de prótonsacelerados, que são direcionados com precisão para o tumor. Além disso, otempo das sessões e o tempo total do tratamento é menor, quando se comparaa terapia com fótons. No começo deste mês, de acordo com a BBC, o tratamento com prótons conseguiu eliminar um tipo de sarcoma cerebral - sem deixar nenhumasequela - de uma criança equatoriana de 7 anos, chamada Ahinara.

As sessões do tratamento foram realizadas na Unidade de Terapia de Prótons, na Clínica Universitária de Navarra, localizada na Espanha. Esse é um dos poucos centros terapêuticos que existem no mundo, já que é um procedimento caro, de alta precisão e que trata cânceres específicos.

Sendo assim, atualmente, existem 107 unidades de protonterapia em 20 países e 37 estão sendo construídos. A menina foi submetida a um total de 30 sessões, uma a cada dia. Sendo a primeira a se submeter a essa abordagem na clínica. Posteriormente, ao eliminar por completo o sarcoma cerebral, conforme a reportagem, Ahinara voltou a sua vida normal.

Como funciona a terapia com prótons?

Segundo o California Therapy Center, localizado em São Paulo e San Diego, na Califórnia, a terapêutica segue os seguintes passos:

- Os prótons entram no corpo e depositam apenas uma pequena dose ao longo do caminho até o alvo e praticamente nenhuma além dele;

- A dose absorvida aumenta muito gradualmente com maior dose e menor velocidade até o feixe atingir o pico de Bragg - o ponto em que a energia máxima é depositada - que é direcionado exatamente dentro do local do tumor

- Imediatamente após essa explosão de energia, o feixe de prótons para completamente e qualquer radiação adicional cessa

O feixe de prótons atinge diretamente o câncer, destruindo as suas células. Foto: Reprodução/California Therapy Center
O feixe de prótons atinge diretamente o câncer, destruindo as suas células. Foto: Reprodução/California Therapy Center

Assim, a energia liberada pelos prótons é direcionada com precisão para o tumor. 100% dela é depositada no câncer e na profundidade especificada. Cada camada recebe uma dosagem específica, determinada no plano de tratamento. Por isso, os feixes de prótons acelerados não causam danos aos tecidos saudáveis.

O médico diretor da Unidade de Terapia de Prótons, disse à BBC, que a depender do tumor a radioterapia de alta precisão pode durar de 5 a 25 dias. O disparo do elemento radioativo dura menos de um minuto, mas posicionar o paciente no local certo dura em torno de 20 a 25 minutos.

Leia mais:

Quais os tipos de tumores são tratados?

Conforme a Sociedade Brasileira de Radioterapia , a protonterapia tem se mostrado eficaz para tratar, dentre outros, o câncer do sistema nervoso central, de pulmão , fígado e próstata.  E ainda, tumores de cabeça e pescoço e sarcomas pélvicos e da coluna vertebral. Pesquisas também apontam benefícios em tumores raros, como os cordomas.

Além disso, é a escolha mais adequada para tumores pediátricos, que em sua maioria são cerebrais. Isso porque os efeitos colaterais para o tecido saudável são mínimos, se comparada à radioterapia com fótons. Ela provoca sequelas a longo prazo capazes de limitar a vida dos indivíduos, como os danos neurocognitivos.

E mais, é considerada uma abordagem terapêutica menos tóxica, pois a radiação absorvida pelos vasos, artérias e pelo sangue é mínima, fato que protege o sistema imunológico do paciente.

Desafio

Apesar de ser mais eficaz para destruir as células cancerígenas e causar menos efeitos colaterais, a protonterapia não está acessível a todos. Porque exige um expressivo investimento em centros que façam esse tipo de tratamento. Levando a concentração dessas clínicas em países ricos, como a Espanha e os Estados Unidos.

Por fim, na América do Sul está sendo construída uma clínica para realizar a radioterapia de prótons na Argentina. Ela começou a ser construída em meados de 2019, e em junho deste ano, médicos belgas chegaram para aplicar a terapia.

Fonte: