Carreira
Publicado em
23/6/22

Como é a concorrência do Revalida e quais os mitos sobre a aprovação?

Escrito por:

A concorrência do Revalida não é considerada alta, mas o exame é conhecido pelo seu alto índice de reprovação, que diminuiu consideravelmente na prova realizada em 2021.

Embora esse processo seja conhecido por ser difícil e extenso, com a preparação e direcionamento adequados a aprovação torna-se possível.

Neste texto você encontrará quais são os principais mitos sobre este processo de revalidação, além das principais dificuldades e a concorrência. 

Mitos sobre a aprovação do revalida

Aqui estão os principais mitos que pairam sobre a realização do Revalida. Confira:

  • É uma prova impossível de passar: apesar do índice de aprovação baixo e do nível alto da prova, é sim um prova possível de garantir a aprovação
  • É preciso haver um convênio entre a universidade estrangeira e a brasileira para que seja efetuada a revalidação: o diploma estrangeiro pode ser revalidado por quaisquer universidades participantes do Revalida INEP
  • A prova não é coerente: a prova é difícil e extensa, e o tempo é curto, então muitos acham que a prova incoerente
  • A universidade estrangeira é avaliada no processo de revalidação: na realidade apenas o desempenho do candidato e a documentação são avaliados
  • A revalidação é obrigação da universidade estrangeira: após o término do curso a instituição já não tem mais nenhuma obrigação com o aluno
  • Não é necessário fazer um curso preparatório: muito pelo contrário, o preparatório vai te oferecer o preparo adequado e direcionado para o Revalida

Qual a principal dificuldade em ser aprovado?

O Revalida é conhecido por ser uma prova extensa e bastante rigorosa, fazendo com que o nível da prova seja considerado alto.

A principal dificuldade é exatamente essa, pois os médicos estão apostando as suas carreiras no exame, o exercício da profissão vai depender da aprovação neste processo de revalidação do diploma estrangeiro.

O emocional influencia bastante na hora do preparo e da realização da prova, que precisa ser realizada no tempo determinado pelo certame.

Então, o fator emocional-tempo também representa uma dificuldade para quem vai fazer o Revalida

No entanto, com o preparo adequado todas essas dificuldades podem diminuir consideravelmente. Por isso, o EMR conta com o curso Revalida 2022

O apoio psicológico individual é um dos nossos diferenciais. Além do banco de questões, com mais de 27 mil questões comentadas em vídeo e texto e simulados gerais, que são aplicados semanalmente.

As nossas aulas, que têm cerca de uma hora, são focadas na sua aprovação, abordando os assuntos cobrados pela banca

As apostilas são disponibilizadas em formato de e-book e o preparatório ainda disponibiliza resumos, mapas mentais e flashcards, que são ideais para fazer a revisão dos assuntos, mantendo eles sempre “fresquinhos” na mente. 

Quantas vezes pode fazer o Revalida?

É possível realizar o Revalida quantas vezes forem necessárias. No entanto, caso o candidato seja aprovado na primeira e não na segunda etapa poderá fazê-la novamente nas duas edições posteriores, sem ter que pagar a primeira etapa mais uma vez. 

Vale salientar que, a primeira etapa é formada pela P1 (prova objetiva) e pela P2 (prova discursiva) e a segunda é a parte prática do exame de revalidação do diploma

A maioria dos médicos formados no exterior fazem a prova pelo menos três vezes para então conseguir a aprovação.

Para mais, desde julho de 2019, além de estabelecer que é possível fazer a segunda fase mais de uma vez, a prova passou a ter duas edições no ano, para aumentar as chances dos inscritos de obter êxito.

Como é a concorrência?

A concorrência do Revalida é baixa, no entanto, ele é conhecido por ter um alto índice de reprovações.

Contudo, ao comparar o exame realizado no ano de 2020 e no ano de 2021, esse percentual de reprovados diminuiu consideravelmente

Se em 2020 apenas 17,2% dos candidatos foram aprovados, em 2021 esse percentual subiu para 50,9%.

Muitos médicos acham o processo injusto e difícil. Também existe um questionamento se os assuntos cobrados no processo de revalidação são coerentes com a grade curricular das instituições de ensino estrangeiras e até das brasileiras.

O que se sabe é que há um consenso entre a comunidade médica que as questões abordadas no exame devem ser de conhecimento básico para quaisquer recém-formados

Além disso, pode-se afirmar que, de fato, ele é extenso e rigoroso, como dito anteriormente, mas a aprovação é possível, sobretudo, com o direcionamento de um curso preparatório

Conclusão

A aprovação no Revalida é possível, mas antes de alcançá-la é preciso entender quais as dificuldades impostas pelo exame e como superá-las.

Então, estudar focado no que é cobrado pela banca e se preparar psicologicamente são fatores importantes para quem deseja ser aprovado nesse Exame Nacional para revalidação de diplomas estrangeiros. 

Leia mais:

Artigos relacionados

Ver todos
Este autor ainda não possui outros artigos publicados.
Ver todos
Teste por 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudo

Receba um acesso gratuito para testar todos os nossos recursos e tirar suas dúvidas!

Teste 7 dias grátis

Experimente a nossa plataforma de estudos

Ao confirmar sua inscrição você estará de acordo com a nossa Política de Privacidade.