Mentalidade

Como não esquecer o que estudou para a prova

Publicado em
29
/
03/2021

A realidade de quem estuda é muito difícil. 

Principalmente porque a pessoa geralmente não percebe que ler ou assistir aula é bem diferente de aprender.

De forma desavisada, vamos seguindo nossas metas de ficarmos em dia com o curso e esquecemos de perguntar a nós mesmos:

O quanto do que vemos no dia a dia do nosso estudo realmente fica gravado na nossa memória de longo prazo?

São exatamente as nossas duas memórias, a de longo e de curto prazo, que precisam se comunicar para nos ajudar a reter as informações importantes - ou seja: aquelas que nos ajudam a acertar questões!

Imagina se tudo o que víssemos ou ouvíssemos fosse guardado pelo nosso cérebro? A quantidade de informações desnecessárias que guardaríamos seria enorme, deixando nossa mente congestionada e dificultando o acesso a essas informações quando necessário.

De forma simples, você precisa entender que seu cérebro guarda na memória de curto prazo informações que serão usadas e logo em seguida descartadas e a nossa memória de longo prazo é a que guarda as informações importantes.

Mas como ele saberá o que realmente importa se nós mesmos, ao terminarmos de ler ou assistir uma aula, não conseguimos fazer este julgamento - então o segredo é dizer para o nosso cérebro quais as informações que são importantes???

Exatamente!!! Ele precisa entender quais os conteúdos que precisam ficar guardados, pois na hora da prova você precisará dessas informações e de preferência de forma bem rápida para ter tempo de conseguir responder todas as questões da prova.

Agora que você já entendeu o processo, vamos trabalhar maneiras para você ensinar ao seu cérebro o que você precisa guardar na memória para garantir o aprendizado dos conteúdos.

São dois passos importantes

  1. Primeiro, identifique a ideia central do conteúdo e os pontos que importam para entender como a banca cobra os assuntos.
  1. Depois, dê mais atenção a esses pontos, para conseguir uma compreensão mais aprofundada do que eles dizem e como eles são cobrados na prática de prova.

Este processo de aprendizagem precisa ser bem feito para garantir que você lembre dos conceitos quando necessário - mas não só isso - para que você contextualize a informação, conseguindo acertar a questão.

Isso faz muita diferença para que possamos incorporar a informação e saber quando e onde utilizá-la.

A ideia é: com um resumo simples você pode retomar o assunto aprendido lembrando dos detalhes importantes e de forma contextualizada. Desta forma, partimos da informação completa com exemplos para ilustrá-la e algumas informações desnecessárias, depois vamos separando o que é informação relevante através das questões anteriores da banca e construindo o resumo que nos ajuda a recordar da informação completa.

Imagina se você não tivesse estudado o assunto e simplesmente fizesse a leitura do resumo de um colega. O quanto você acha que conseguiria entender e memorizar deste resumo? Tenho certeza que bem pouco, pois aquela informação não faria tanto sentido em formato de tópicos e sem um contexto para ajudá-lo a visualizá-la melhor.

A importância do estudo é compreender o conteúdo recebido de forma passiva (aulas ou pdfs), contextualizar o conteúdo de forma ativa (questões) e utilizar um recurso (resumo ou mapa mental, por exemplo) para mantê-lo na sua memória de longo prazo, no papel de informação de fácil acesso. Então não esqueça que, para manter todo este processo funcionando até a data da prova, você precisará voltar de forma frequente ao material resumido criado após o seu estudo!

E neste retorno vá testando o quanto aprendeu desde a última vez que viu o conteúdo. Primeiro, pergunte-se sobre o tema. Tente lembrar o máximo de informações possível, justamente para conseguir identificar o que você ainda não consegue lembrar de forma instantânea na hora que faz a leitura do material resumido.

Depois de identificar os pontos, mais uma vez reforce para o seu cérebro que aquela informação é relevante e não poderá ser esquecida nas próximas vezes. É um exercício simples, mas muito poderoso que te fará perceber que, a cada retomada, torna-se mais fácil e rápido retomar o conteúdo. E você perceberá que quando for fazer simulados as questões ficarão mais fáceis de acertar.

Esses pontos mais críticos podem virar flashcards, por exemplo. De forma prática você retoma sempre o que é mais difícil de lembrar. Desta maneira você cria o ciclo de decorebas e vai retomando essas informações de forma mais frequente, principalmente em momentos de espera, quando geralmente desperdiçamos tempo.

Baixe um aplicativo gratuito e tenha sempre os seus flashcards à disposição no celular. Qualquer tempinho livre pode virar momento de reforço do estudo! Porém sem abandonar os seus resumos, pois esses devem sempre ser retomados para lembrar o conteúdo como um todo.

Agora chegou a hora de colocar em prática e começar a aprender o conteúdo e ao mesmo tempo ensinar para seu cérebro o que é importante e não poderá ser descartado!!!