Covid-19

Antipsicóticos podem mudar a forma de tratamento para a Covid-19, aponta estudo

Estudo publicado no mês de março, no ScienceDirect, mostrou que os antipsicóticos podem ser eficazes contra a infecção causada pela Covid-19. E mais, eles também podem auxiliar o indivíduo a não desenvolver a forma grave da doença. Além disso, uma outra pesquisa observou que os antipsicóticos são capazes de infra regular genes cuja expressão é alterada pelo coronavírus.

Na pesquisa divulgada pela ScienceDirect, os pesquisadores puderam observar que as pessoas com transtornos psiquiátricos graves apresentaram um risco menor de contrair o coronavírus. Além do mais, aqueles que chegaram a se infectar tiveram um prognóstico positivo e a evolução foi benigna, e, portanto, não chegou a uma situação clínica potencialmente fatal. Apontando para um efeito protetor dos medicamentos.

A população do estudo foi composta por 698 pacientes com transtornos psiquiátricos graves, em tratamento com antipsicóticos injetáveis de ação prolongada. E ainda, participaram do trabalho 557.576 indivíduos sem os transtornos. Os cientistas avaliaram a prevalência e o prognóstico de Covid-19, de fevereiro a novembro de 2020.

Sendo assim, obtiveram os seguintes resultados:

Indivíduos sem transtornos psiquiátricos graves Indivíduos com transtornos psiquiátricos graves
4,1% deles foram infectados pelo SARS-COV-2 1,3% deles foram infectados pelo SARS-COV-2
8,5% precisaram de internamento hospitalar Nenhum precisou de internamento hospitalar
0,9% foram para UTI Nenhum foi para UTI
1,1% faleceram em decorrência da infecção viral Não foi registrada nenhuma morte
É possível ver que são poucas pessoas com transtornos psiquiátricos com a doença, embora tenham alguns fatores de risco. Fonte: Medscape

Medicamentos utilizados em psicopatologias podem tratar quadro grave da Covid-19

Uma outra pesquisa preliminar publicada em 12 de novembro de 2020, pelo Jama Network, trouxe algumas novidades sobre o tratamento para a Covid-19. De acordo com ela, a piora clínica de pacientes ambulatoriais adultos foi evitada pelo tratamento precoce com o antidepressivo fluvoxamina. Um outro medicamento, o antipsicótico aripiprazol também apresentou um significativo potencial para tratar a infecção viral grave.

Antipsicóticos reduzem a ativação de genes inflamatórios associados a Covid-19 grave

Pesquisa divulgada no último dia 2 de março pela Frontiers in Pharmacology, mostrou que os antipsicóticos infra regulam genes cuja expressão é alterada pelo processo infeccioso causado pelo SARS-COV-2. Isso significa dizer que essa categoria de medicamentos promove a redução da ativação de genes diretamente a forma mais grave da Covid-19. Estando eles localizados em vias inflamatórias e imunológicas.  

Leia também: Estudo mostra que a hipertensão está associada a Covid-19 grave

Diante das informações evidenciadas por todas as três pesquisas, é possível concluir que mais investigações precisam ser feitas. No entanto, a possibilidade de antipsicóticos terem capacidade antiviral - assim como é observado nos trabalhos apresentados - podem mudar a forma de tratar a doença.