Covid-19

O impacto psicológico da pandemia

Agora, no terceiro mês de quarentena em nosso país, muito já se fala do stress emocional, psicológico e social que, muito além do vírus, a pandemia vem espalhando. Um artigo publicado no JAMA no dia 3 de Junho se debruçou um pouco em cima desse assunto.

De acordo com ele, a Covid-19 nos introduziu a estressores da saúde mental que incluem a solidão advinda do isolamento social, o medo de contrair a doença, o peso econômico do fechamento do comércio e a incerteza a respeito do futuro. A pesquisa comparou dados a respeito de nível de stress entre adultos residentes nos EUA durante o mês de Abril de 2018 e durante Abril de 2020 coletados no hospital Johns Hopkins.

Os dados dos participantes — 1.468 pessoas no grupo de 2020 e 25.417 no grupo de 2018 — são divididos em subgrupos: etnia, sexo, faixa etária, renda familiar e situação de moradia (mora sozinho ou com outras pessoa). A prevalência de sintomas relatados de sofrimento psíquico foi, como esperado, muito mais alta em 2020.

Demonstrou-se que a medida de sofrimento psíquico derivada da escala de Kessler prediz com precisão o surgimento de distúrbios mentais graves, sugerindo que o sofrimento agudo durante a pandemia pode se traduzir em distúrbios psiquiátricos de longo prazo. Em abril de 2020, 13,8% dos adultos norte-americanos relataram sentimento constante de solidão, por exemplo. Porém, em comparação, uma pesquisa nacional que usou o mesmo instrumento de análise para medir a percepção, constatou que 11% dos adultos norte-americanos (ou seja, mesma população) relataram sentir-se solitários com frequência durante o mesmo período em 2018. Como a percepção de solidão aumentou pouco entre 2018 e 2020, é possível inferir que outros fatores podem estar causando sofrimento psicológico durante a pandemia de Covid-19. Analise o gráfico no artigo.

Link: https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2766941

Confira nosso outro artigo sobre o COVID-19 – Remdesivir