Mentalidade

Multitasking para os estudos?

Publicado em
08
/
03/2021

O mundo de hoje é veloz.

E nele, somos treinados para fazer diversas atividades ao mesmo tempo:

Comemos enquanto checamos notificações, arrumamos a casa assistindo aula, estudamos respondendo mensagens nas redes sociais, entre muitas outras coisas que fazemos de forma conjugada na nossa rotina.

Legal, não é? Somos multitasking, ou seja, nos achamos mais eficientes porque fazemos várias coisas ao mesmo tempo. Porém é aí que vem a grande pergunta:

O resultado dessas atividades é sempre satisfatório?

Algumas atividades rotineiras ou de pouca complexidade serão perfeitamente desempenhadas em conjunto - o que é excelente, porque podemos combinar tarefas que não gostamos com outras que gostamos, fazendo com que possamos nos sentir melhor ao final da atividade.

Um bom exemplo: 

Para quem não gosta de lavar pratos ou arrumar a casa, experimente fazer essas atividades com uma música bem animada, aproveitando para dançar e tornar o momento mais agradável. As atividades podem ficar mais descontraídas se usarmos recursos como esses para nos divertirmos durante o processo.

Mas atenção:

Quando falamos de tarefas complexas - como o estudo - as coisas não funcionam da mesma forma. 

A concentração é mais do que necessária para entender e raciocinar sobre os conceitos abordados. Precisamos fazer comparações e buscar similaridades para nos ajudar a fixar. Desta forma, quando nos dedicamos a muitas atividades complexas ao mesmo tempo, ou mesmo quando as combinamos com ações mais corriqueiras, a qualidade do nosso aprendizado tende a diminuir de forma significativa

A cada mensagem ou notificação que chega, nossa atenção é desviada, e com isso perdemos tempo buscando retornar ao raciocínio inicial. E olha que eu nem comecei a falar sobre a ansiedade despertada dentro de cada um de nós quando somos expostos aos feeds das redes sociais... 

É natural que o sucesso alheio faça com que paremos para refletir sobre os nossos próprios rumos

Para alguns o testemunho das vidas de “contos de fadas” dos seus colegas pode ser convertido em entusiasmo aplicado à preparação, buscando atingir aquele mesmo patamar (principalmente em um momento tão delicado de superação, como o estudo para ingresso na Residência Médica). Enquanto para outros pode surgir um sentimento de desestímulo, por acreditarem que nunca alcançarão o mesmo êxito. 

Essas “ondas de ansiedade” geradas pelas redes também refletem os tempos, e, se não podem ser evitadas, devem ao menos passar por uma ressignificação, agindo como uma forma de inspiração e nunca como atestado de incapacidade ou incompetência: cada um possui um ritmo particular para percorrer o caminho que o levará ao seu objetivo - e você sabe que já começou a trilhá-lo. 

Para isso, é essencial não desviar do ponto principal, o preparo, tão fundamental para a fixação e aplicação do conteúdo. 

Precisamos praticar a autoavaliação e desenvolver um ambiente favorável para o nosso aprendizado. Desta maneira o momento de estudo será mais fácil e consideravelmente menos sofrido - aliás, dedicando-se ao modo correto de estudar, com foco no entendimento das particularidades da sua banca, seu estudo não demandará sofrimento algum. 

E isso começa de forma simples, com algumas atitudes para tornar o seu momento de estudo completamente dedicado ao objetivo de aprender.

Seguem pequenos, mas efetivos passos para ajudá-lo a fazer a diferença:

  • Inicie eliminando as distrações no seu ambiente, retire os alertas de mensagens do seu celular e computador, caso não consiga se controlar, então tire o telefone de perto. Evite olhar qualquer coisa que não esteja relacionada ao tema que você precisa aprender.
  • Depois comece um período de adaptação, criando blocos pequenos de estudo, em média 30 minutos (você decide quanto tempo acha que consegue ficar concentrado sem fazer muito sacrifício). Após esse tempo inclua um pequeno intervalo, em média 5 minutos. Esse tempo pode variar de acordo com seu cansaço e hábito. Aos poucos ficará mais fácil e você pode aumentar gradativamente o seu tempo de dedicação, caso perceba que pode se concentrar por um período maior antes de iniciar o intervalo.
  • Finalmente, estabeleça objetivos de estudo e pequenas metas para cumprir durante o tempo que você tem disponível. O pensamento deve ser de fazer o que é preciso primeiro para depois verificar mensagens, navegar nas redes sociais ou mesmo quaisquer outras atividades não relacionadas ao seu objetivo da aprovação. 

Entenda que para conseguir revisar todo o conteúdo é necessário estar preparado, só assim você acertará questões na prova - e isso requer atenção

E com mais foco e menos interrupções, acredite: você conseguirá estudar melhor. 

Então já sabe, pause as distrações e dê play no foco, que eu tenho certeza que você sentirá a diferença! 

Forte abraço,

Diana Sette, Coach - EMR